Lilypie Second Birthday tickers

Lilypie Second Birthday tickers

quarta-feira, julho 28, 2010

Inês

Ao telefone com a assistência técnica do programa de contabilidade, o senhor a dar-me instruções , a D.Inês solta um enorme e altíssimo PUM e do outro lado faz-se silêncio.
Eu ainda pensei explicar mas aquela célebre frase: "Não te justifiques" veio-me à cabeça e calei-me...
Ainda não consegui parar de me rir de cada vez que me lembro da cena...

terça-feira, julho 27, 2010

O João

Quando o João soube que a mana finalmente tinha nascido ficou eufórico e, segundo a minha mãe, deu pulos de alegria.
Os dias em que estive internada na Ordem e os primeiros dias em casa, foram complicados porque não se chegava a mim, como me via debilitada tinha medo de me magoar e eu, tinha tantos saudades dele que me custava imenso aquilo tudo mas ao mesmo tempo, mal me conseguia mexer e realmente, quase tudo me doía!
Quando viemos para casa, apesar das saudades que tinha do cantinho dele, passou rapidamente para uma fase respondona, gozona, meio acomigo. Em relação à mana, lua-de-mel total mas comigo... O meu menino dócil, obediente, carinhoso estava diferente, rebelde, gozão, refilão, enfim...
A semana passada, depois de uma Terça-Feira em que ficou pela primeira vez completamente só comigo e com a mana e com as coisas a correrem malzinho, resolvemos que iria com o papá para o trabalho, indo eu buscá-lo ao final da tarde.
Sexta, foi de manhã com o pai mas voltou de tarde e combinou quase obrigado que ia dormir uma sesta. Assim foi! A muito custo deixou vencer-se pelo cansaço acumulado de dias com poucas horas dormidas de noite e não compensadas com as sestas habituais e acordou melhor, mais bem disposto.
Fomos jantar a casa da avó D. e o meu menino doce regressou. Quando chegamos a casa, sentou-se comigo no sofá e começou a fazer-me perguntas sobre quando era bebé. Que brinquedos tinha, se bebia leite devagar ou depressa, como dormia, etc.
Pacientemente, expliquei-lhe tudo e até lhe mostrei os brinquedos que tinha quando era bebé.
No dia em que a Inês nasceu, a tia M. deu-lhe um dudu da Miffi e ele gostou tanto que me fez prometer que lhe ia dar um dudu também.
No meio dos brinquedos que lhe fui mostrando, apareceu um dudu palhaço que era dele em pequenino mas ao qual nunca ligou grande coisa mas ficou tão contente por também ter um dudu que desde lá que anda sempre com ele atrás, inclusive para dormir.
Depois desta nossa conversa, amansou e entrou na fase de falar à bebé.
Está um pouco mais calmo mas está sempre, sempre a falar, a questionar tudo, a gozar, a cobrar.
Hoje começou o ATL e gostou imenso mas até a animadora disse que ele estava sempre a falar...lolol... imagino!
A pouco e pouco espero ansiosamente por um regresso à normalidade. Está tão grande o meu bebé maior.

segunda-feira, julho 26, 2010

Dar de mamar

Amamentar um filho é algo de maravilhoso.
Combinamos momentos só mesmo nossos que a mais ninguém podem pertencer com um sentimento de ligação, de dependência, de amor tão grandes, que a sensação se torna mesmo mágica e quase indescritível.
No entanto, ao contrário de quando damos um biberão, não sabemos exactamente se a quantidade de leite ingerida está a aumentar ou não.
Uma vezes ela mama com avidez outras está mesmo numa de "pastelice", de saborear o momento e por isso, o contar os minutos da mamada nem sempre resulta.
A verdade é que uma parte de mim fica sempre na dúvida, será que o leite é suficiente, será que ela está a engordar bem?
Só nos momentos pós-pesagem é que fico com certezas e um certo orgulho porque passados alguns dias, já não é bem assim!
Ontem foi um dia de muitas dúvidas, uma vez que a Inês reclamou mama, quase a tarde e início da noite inteiras. Acabava de mamar, adormecia e quando a deitava ela acordava e voltava a procurar a mama.
Comecei a ficar com dúvidas, ao final do dia, tinha a sensação que tinha dado de mamar o dia todo e acabei por pôr a descongelar um saquinho de leite meu. Não foi preciso...
A pediatra disse para não a pesar todas as semanas porque os Centros de Saúde são um antro de micróbios. Como ela estava bem e a engordar, não valia a pena.
Eu tentei pesá-la na Bimby mas como ela se mexe, a minha amiga não consegue ...lol
Vamos ver como corre hoje o dia.

quinta-feira, julho 22, 2010

Nós por cá

A adaptação à nova vida, aos novos horários e rotinas não está a ser fácil.
A Inesocas é um despertador que toca de 3 em 3 horas sem dar tréguas.
Continua a mamar do meu leitinho e tem engordado, sinto-me feliz, é desgastante mas muito recompensador!
Ontem riu-se pela primeira vez para mim, é um doce e, tal como o João, herdou as minhas covinhas.
Os olhos continuam de um tom azulado mas não sei se serão azuis como os do João. No outro dia ouvi a avó D. a confidenciar ao meu tio que, uma vez que o João tem os olhos da avó L. a Inês podia ter os olhos dela, verdes... Lol... Não ficava mal servida, não!!!
O João não tem ido à escola. Os 15 dias de praia foram difíceis, não queria ir, chorava na escola.
resolvemos deixá-lo ter umas férias mas na Terça ficou comigo e foi complicado. Ontem e hoje foi com o pai para o trabalho. Amanhã fica comigo porque vamos jantar à avó D.
Para a semana vai para um ATL, espero que goste!
O mês de Agosto avizinha-se difícil, vamos ter de o convencer a ir para a escola, não sei como.
A Inês começou com as cólicas e os meus dias não são fáceis e o João não quer estar em casa, não compreende porque não vamos passear... Compreendo perfeitamente.
Vivo numa constante ânsia por não o prejudicar nem negligenciar. Amo-o tanto e tenho saudades dele. Não é fácil mas tudo se resolve ?

quarta-feira, julho 14, 2010

O João

No dia em que a mana nasceu, deixamo-lo às 6 da manhã em casa da minha mãe e antes da hora de almoço, ele já estava na Ordem com o pai.
Quando entrou no quarto eu morria de saudades e achei que tinha crescido imenso, sem me aperceber que apenas tinham passado 6 horas de separação.
A felicidade nos olhos dele, na sua cara era tão evidente que parecia inchado. Só queria dar festas na mana, dar-lhe beijinhos... Quando ao final do dia o deixamos pegar na mana, o peito encheu-se de ar e fez o ar mais feliz deste mundo!!!
A dormida em casa da avó, deixou-me com o coração tão pequenino que até doía, no entanto, o nosso príncipe portou-se à altura e quis dormir sozinho no meu quarto, é um homem!!!
Tem uma adoração enorme pela mana, está sempre a ver se ela está bem e ri-se às gargalhadas com as mudanças de fralda, com os chorinhos, os soluços.
Está mais sensível mas acho que se não estivesse seria estranho.
O único problema tem sido convencê-lo a ir para a escola. Esta é a segunda semana de praia e achamos importante que fosse, uma vez que este ano não vamos de férias. Mas ele não quer ir, tem sido complicado convencê-lo, felizmente voltei a conduzir e tenho ido buscá-lo às 3 da tarde, hora que ele controla ao minuto.
Anda cansado e diz que tem saudades de casa, na sexta regressamos. Estou ansiosa por ir para o meu canto e ao mesmo tempo receosa. Mas isso é outra conversa...

segunda-feira, julho 12, 2010

Algumas coisas...

Já passaram duas semanas desde o nascimento da princesinha da família.

A quem me desejou uma horinha rápida, agradeço desde já. A verdade é que a hora foi tão pequenina que o parto quase era feito só com a ajuda da parteira! Mas isso é outra história, a ser contada a seu tempo.

A Inês nasceu às 7.30 de um dia enevoado. Pesava 3130g e media 47 cm.

Nasceu de parto natural, algo que eu tanto ansiava, no entanto foi necessária a ajuda dos fórcepes, já que, ela descia com as contracções mas logo voltava a subir, sendo desde logo apelidada de bebé canguru pela obstetra.

Não ma puseram ao peito na sala de partos mas também não lhe deram logo leite artificial a beber.

Quando subimos para o quarto, a mamã tomou um belo pequeno almoço e logo a seguir, puseram a Inês no meu peito. Passados 5 anos e 2 meses, pude finalmente desfrutar da sensação de dar de mamar a um filho. O início é mágico e algo violento, termos um ser tão pequenino que traz dentro dele todo aquele instinto de sobrevivência, sentir que fazemos mesmo parte daquilo, é lindo. Chorei!

A Inês revelou desde logo ser uma belíssima sugadora, mama tudo o que lhe aparece à frente, sofregamente. Que diferença do mano!

Durante os dois dias na Ordem, ia mamando da mama e depois reclamava suplemento. Desde que viemos para casa, na Sexta, esse suplemento passou a ser feito de leite materno

Os primeiros dias foram muito difíceis, sentia muitas dores no sítio onde levei pontos, o calor era brutal e desesperante, a quantidade de leite que produzia , à qual a Inês não dava vasão, pelo que passava o dia de bomba ao peito.

O cordão caiu na terça-feira, 6 dias depois de ter nascido.

Neste momento, a Inês mama de 3 em 3 horas, normalmente de uma só maminha. Infelizmente, ao contrário do que sucedeu na primeira semana, durante a noite acorda na mesma para mamar...

Hoje foi o primeiro dia em que a Inesocas esteve mais choramingas. Acho que a amamentação materna exclusiva ajuda e muito a que não tenha tantas cólicas.

Ontem foi fazer as primeiras vacinas e pesar-se. De 3130g passou para 3250, nada mau!!!

Estou feliz. Cansada mas feliz.

terça-feira, julho 06, 2010

Inês

Às 7.30 da manhã do dia 30 de Junho, a Inês entrou nas nossas vidas e nos nossos corações com uma força avassaladora que só um filho nos causa.
Sentir o seu corpo ainda quente do meu corpo, junto a mim, nos meus braços, foi pura magia.
Os nossos corações ganharam espaço e de novo, o amor incondicional que sentimos com a chegada do João tomou conta de nós, papás.
Amamos-te para sempre linda e delicada Inês, daqui até à lua e de volta, e de volta, e de volta...