Lilypie Second Birthday tickers

Lilypie Second Birthday tickers

terça-feira, setembro 02, 2008

O primeiro dia...

Uma semana... faz hoje exactamente uma semana que o meu bebé, cada vez mais rapazinho, começou a ir para a escola.
Ia feliz, entusiasmado, com a mochila do Spiderman oferecida pelos padrinhos às costas. A mamã, previdente e preocupada, tinha lá metido entre outras coisas necessárias a fraldinha e o ursinho Rex com cheirinho de mamã para que em caso de necessidade o conforto fosse um pouco maior.
Entrou a medo, como faz em tudo o que é novidade na sua vida, entusiasma-se mas na hora da verdade a timidez leva sempre a melhor e, em podendo, refugia-se no meu colo, escondendo a cara na esperança que a ameaça desapareça...
Entrei com ele e sentei-me numa das cadeiras feitas à sua medida... Ele sempre ao meu lado, a observar. A F. a dizer para ele ir brincar e ele, a medo, lá se foi afastando cada vez mais intrigado pela garagem gigante com que os outros meninos já brincavam entusiasmados. Ia e vinha, como que a certificar-se que era seguro ir e ganhando forças em cada regresso.
Passados uns minutos foram todos lá para fora brincar, andar no escorrega e nas outras brincadeiras... Despedi-me dele ao longe, disse que daí a um bocado ia buscá-lo e vim. Vim de coração apertado, feliz e angustiada ao mesmo tempo, com medo do que ele estaria a pensar de mim, será que pensaria que eu o estava a abandonar, será que nem se ia lembrar de mim?
Custava-me respirar, custava-me pensar no que faria enquanto ele lá estivesse... Ligavam-me a perguntar como tinha corrido e eu dizia que bem, surpreendida pela positiva, incrédula que aquilo estivesse mesmo a acontecer...
Não consegui sair das imediações, tinha medo que o telemóvel, que todo o dia mantive nas mãos com medo de não o ouvir, tocasse. Queria que se fosse necessário ir buscá-lo conseguisse fazê-lo no menor tempo possível. Passada uma hora, ligou-me a directora dizendo que ele já tinha almoçado e agora ia descansar. Fiquei contente, mais descansada.
Eu nem conseguia comer, a minha ansiedade era tanta que as pessoas ligavam-me e eu nem dizia coisa com coisa e despachava-as com medo de estar a ocupar o telefone...
Às 15.00 fui buscá-lo e vinha contente, acho que só voltei a respirar normalmente quando o tive nos braços e só depois comecei a sentir o peso de todo o stress que tinha vivido como se tivesse sido atropelada vezes sem conta por algo muito pesado.
O primeiro dia.
O primeiro dia na escola.
O primeiro dia na escola, como é que isto aconteceu assim tão rápido? Ainda ontem andava com ele sentado no meu braço a passear pela casa e vibrava com o seu primeiro sorriso, o seu primeiro som, a sua primeira gracinha... e agora... Já passou uma semana de escola e três anos.
Três anos, quatro meses e dezassete dias tinha o meu João Ratão no seu primeiro dia de escola...

Sem comentários: