Lilypie Second Birthday tickers

Lilypie Second Birthday tickers

quinta-feira, novembro 08, 2007

Uma pequena distracção no trânsito

Hoje de manhã, uma pequena distracção no trânsito fez-me passar por uma rua que já há muito não passava...
A rua que vai dar à escola primária onde andei...
Uma rua que inúmeras vezes fiz pela mão da minha avó Ester que, religiosamente me ia levar e buscar...
Lembro-me que à vinda para casa, vinha sempre com as minhas duas amigalhaças a Isabel Cláudia e a Susana Carmen... e connosco as nossas três avós que iam conversando dia a dia e ganhando laços... A vida corria calma nessa altura, sem grandes preocupações e correrias...
Saíamos de casa 15 minutos antes e esse tempo era mais que suficiente para chegarmos antes da hora...
Na 4.ª classe, à ida, comecei a fazer o caminho sózinha com a promessa de só atravessar quando estivesse verde para os peões e de ir com muito juizinho. A minha mãe dava-me uma moeda de 2$50 para eu telefonar para casa do telefone da escola, a dizer que já tinha chegado.

Levávamos a pasta às costas e a lancheira na mão... lembro-me que tinha uma lancheira da Tupperware, meia alaranjada com os sinais de trânsito gravados... lá dentro, um pão com marmelada, ou queijo ou tulicreme e uma maçã... no Inverno, a minha avó ainda me punha uma termos com leite com chocolate bem quente... No início levavamos uma caneca e em fila, à hora do recreio iamos sendo servidos de leite normal... mais tarde apareceram os pacotes de leite com chocolate que eu não gostava pois eram muito doces...

A minha professora chamava-se Fernanda Ventura e era bastante exigente , eu gostava dela... Lembro-me que todas as semanas, na 2.ª classe, havia uma cartolina afixada na parede com os nomes dos alunos que não tinham dado erros no ditado... o meu nome estava lá sempre sem grande esforço... nunca estudei para um ditado...as coisas surgiam naturalmente..lolol... era tão espertinha...
A minha professora dava chapadas na cabeça a quem se portava mal e eu achava aquilo horrivel mas nunca aconteceu comigo...levei uma vez uma reguada porque um colega me chamou , eu virei-me para trás e pumba.. fiquei mortificada, doeu-me horrores, sentia a mão quente e o orgulho muito ferido... quando cheguei a casa, lembro-me que fui para o meu quarto e chorei, pela tremenda injustiça que tinha sofrido...
A ninha professora tinha uma daquelas secretárias antigas de madeira escura, com um armário incorporado de cada lado...
Dentro desses armários existia um paraíso para mim.. livros e mais livros e mais livros... parece que ainda consigo sentir-lhes o cheiro... Li a maior parte das aventuras dos Cinco, a colecção antiga e os Sete e sei lá mais quê, tudo o que ela me dava...
Ela deixava-me levá-los para casa e eu devorava-os literalmente e cuidava deles com todo o carinho... Ainda hoje o faço, talvez venha daí a minha intolerância com dobrares de páginas e etc... Não empresto os meus livros a qualquer um.

No recreio jogávamos ao elástico e ao Bombarqueiro...

Bom barqueiro
bom barqueiro
deixai-me passar
tenho filhos pequeninos
p'ra acabar de criar.
Passará, passará
Mas algum ficará
Se não for o da frente
Há-de ser o de trás...

Às sextas-feiras, de 15 em 15 dias, na 4.ª classe tinhamos jogos florais... fazíamos corridas dentro de sacos, a transportar ovos numa colher de pau, etc.. era a nossa educação física...lolol

Todo o caminho de casa para a escola era repleto de árvores...
No Outono íamos pelos passeios a pisar as folhas e muitas vezes a apanhá-las para os trabalhos da escola, o nosso recreio tinha sempre imensas folhas no chão...
Da Primavera, o que mais me lembro são os jardins das casas cheios de flores e o cheirinho a rosas de Santa Teresinha que ainda hoje adoro...
É incrivel como para sentir esses cheiros, às vezes basta fechar os olhos...

Ainda bem que, hoje de manhã, uma pequena distracção no trânsito me fez passar por uma rua que já há muito não passava, a rua da minha Escola Primária que já não é minha mas há-de ser para sempre...

Sem comentários: