Lilypie Second Birthday tickers

Lilypie Second Birthday tickers

quinta-feira, abril 12, 2007

8 de Abril de 2007

estavas tão feliz ...
parecia que sabias que era o teu dia, meu amor...
dia de comemorar o teu nascimento, a tua vinda para os nossos braços, para o nosso calor...

já passaram 2 anos...
parece que foi ontem meu bebé...

eras tão pequenino, tão fofinho... com uns dedinhos compridos, elegantes... e o teu cabelo... imenso, preto, espetado... adorava despentear-te, era tão suave o toque...

a primeira noite, naquela madrugada em que nasceste, foi um pouco dificil... por tudo...
tudo começou a meio da tarde do dia anterior com uma caminhada que me pareceu interminável pela Foz do Douro... a mamã estava decidida a pôr-te cá fora pelas vias normais e para isso havia que andar muito para a barriguinha descer e tu ganhares vontade de sair do quentinho... a parteira T. também deu uma ajudinha com o chamado toque... meu filho, ainda bem que és homem e nunca vais ter de passar por isso... é tudo o que te digo...
Disse que estava para breve, que não devia passar daquela noite... mandou-nos ir jantar a um sítio bom e comer bem, sobremesa e café incluido para a mamã estar cheia de força na hora da verdade....
loool
fomos jantar ao Meidin de Santa Catarina... a mamã comeu a bela da pizza com coca-cola e de sobremesa um daqueles crepes maravilhosos de chocolate e nozes...
começavam as contracções ... ainda muito fraquinhas... lembro-me de pensar e dizer que afinal não era assim tão mau como diziam...que anjinha....
fomos para casa aprontar tudo...
as contracções começaram a apertar cada vez mais...
as dores eram mais que muitas, insuportáveis, pareciam facas espetadas nas costas da mamã... eu chorava, doia tanto...
a tia R. chegou lá a casa e lembro-me de pensar que não queria que ela me visse assim para não ficar preocupada... sabes como ela é com estas coisas... quer dizer, ainda não sabes mas hás-de saber....lolol...
tomei um banhinho, meti as últimas coisas na mala e lá fomos para a Lapa...
o caminho parecia interminável e a mamã estava a ficar com medo... era tudo tão novo, tão inesperado...
lembro-me perfeitamente que a certa altura, começou a tocar na rádio a música Angel dos Silence Four e isso acalmou-me... cantei, sei que me ouviste também meu lindo...
chegamos à Lapa às 23.45 do dia 7 de Abril de 2005 e as dores eram insuportáveis...
o porteiro achou muita piada ao facto de eu ser Raposo e disse que também era qualquer coisa Raposo... lembro-me de o insultar mentalmente... não posso dizer pois eram palavras muito feias...
a tia M. acabava também de chegar e subiu comigo, com o papá e com a tia R.
entramos no quarto que seria o nosso por 3 dias...
veio a epidural... abençoada....
descemos para o bloco....
a mamã a fazer força, muita força... e tu não saías, nem te mexias... a parteira dizia que a mamã tinha de se esforçar mais e a mamã pensava que já estava a dar o seu máximo e que não aguentava mais...
afinal, tu tinhas sido maroto e durante a tarde, tinhas dado a volta novamente e tinhas enrolado o cordão à volta do pescoço... por isso a mamã não consegui pôr-te cá fora....
fomos para cesariana... tudo aquilo que eu não queria concretizava-se... lembro-me de ter medo, muito medo.... o papá agarrava-me na mão com toda a força que tinha e eu.. rezava...rezava...
3.15...
nasceste...
a parteira e o pediatra foram contigo... e o papá perguntou-me a medo se podia ir também... respondi-lhe que sim...
ouvia-te chorar e perguntei se estava tudo bem...
a Prof. A. respondeu-me que com uns pulmões daquelas só podias estar bem...
lembro-me de quando o papá te trouxe todo embrulhadinho na mantinha azul que te tinha comprado... eras tão pequenino...
pousou-te ao meu lado e olhei pela primeira vez para ti... meu amor, nunca me vou esquecer desse momento....

foi o início do resto da minha vida....

amei-te, apaixonei-me... todas as minhas dúvidas foram postas de lado...
perguntava-me muitas vezes como conseguira viver antes de te conhecer, antes de te ter nos meus braços, antes de seres meu filho e de eu ser tua mãe...
adoro-te desde o momento em que te aninharam junto a mim, em que achei que tinhas um queixo muito pequenino, em que adorei o teu cabelo, as tuas mãos... em que te dei o primeiro leitinho... em que sorriste pela primeira vez para mim e para o papá...
amo-te por seres fruto do meu amor pelo papá e por seres um pequena fotocópia dele...
amo-te pelos teus abraços, pelos teus sorrisos, pelas tuas gargalhadas, pelas tuas traquinices, pelo teus beijinhos...
parabéns meu amor, que a vida te sorria para sempre e que o nosso amor nunca deixe de te proteger na vida....

6 comentários:

Smas disse...

Ainda que atrasados os meus parabéns ao João e à sua mamã!
Fiquei emocionada ao ler as tuas palavras. Gosto muito do modo como escreves.
Bjs

Anónimo disse...

É certo que houve uma parte da narração que me fez um nervoso cá dentro (:-))... mas com um final tão feliz não pude deixar de sorrir!
Parabéns por terem conseguido tudo isto!Afinal é possível viver de amor e ar!
C.

XanaA. disse...

Parabéns João!! Muitos anos cheios de felicidade pela frente! (E parabéns à mamã!)

Gostei muito deste 'relato'. :)

Já vi que conseguiste aceder ao meu blog. Bem-vinda! :D

Beijocas e bom fds

Jane & Cia disse...

E deste Amor Maior um fruto para Amar a vida inteira.

Parabéns uma vida sempre a brilhar para o Joãozinho!

Pedro disse...

Bem, como sempre és esmagadora!
Até ficamos sem palavras ao ler o teu amor:)
Muitos beijos de felicidades atrasados claro ou não fosse Eu!

Já agora um presentinho
http://www.youtube.com/watch?v=mC9UzFhNlbA

SusanaMama disse...

Atrasados, mas não podia deixar de dar os parabéns ao Joao e à mãe. Parabéns

Bjs