Lilypie Second Birthday tickers

Lilypie Second Birthday tickers

terça-feira, março 13, 2007

A minha memória mais antiga de ti....
Uma menina, de cabelo curtinho mas muito rebelde... com muita vergonha de tudo e de todos...

Uma menina, ao meu lado, numa paragem de autocarro, com vergonha de me entregar um presente que tinha comprado para o meu aniversário... da Body Shop... o que eu o adorei...

Uma menina com um brilho de gratidão nos olhos por um simples lanche de aniversário, numa pastelaria perto do António Nobre... chovia nessa tarde e eu cheguei atrasada.... desculpa minha amiga...

Uma menina que não sabia fazer o totó no cabelo antes do treino...

Uma menina que punha os meus óculos de sol e que me fazia rir às gargalhadas...

Uma menina que olhava para as flores e para as estrelas comigo, sem achar que eu era tontinha....

Uma menina perdida no Mundo, com muita sede de miminhos mas a saber mimar os outro também...

Uma menina que me acompanhou pela vida fora... nos bons e nos maus momentos, sempre...

Uma menina que estava lá quando o João nasceu, cheia de medo, se calhar mais do que eu.... nem imaginas, minha amiga o significado que isso tem para mim....

Dizes que algumas das grandes decisões da tua vida foram tomadas depois de algumas conversas nossas.... Sempre deste muita importância ao que pensava, à minha opinião... nem imaginas a responsabilidade que sentia e ainda sinto... nunca me achei digna de tanto...

Somos agora crescidas... olho para ti e continuo a ver a meninice que sempre tiveste...às vezes penso que me tornei numa adulta cinzentona, que já não tem tempo para olhar para as coisas e vê-las mesmo...
tenho uma certa inveja de ti por saber que continuas com essa capacidade e que muito dificilmente a perderás...
por outro lado, sei que, para sobreviver neste Mundo de adultos, tão complicado e por vezes tão feio, o perder dessa meninice é quase obrigatório, pelo menos uma parte dele... senão, arriscamo-nos a ser permanentemente infelizes, imcompreendidos, desajustados....

Sei que dentro de mim, tenho uma maneira muito própria de ver as coisas... mas também sei que a vida me foi mudando, moldando... não sei se é bom ou mal, é crescer... o meu crescer...

Queria estalar os dedos e ajudar-te, devolver-te o sorriso...
Não sei como, não sei mesmo...

Fica com o meu sorriso, com o sorriso do João... deixa ao menos que te aqueça um bocadinho o coração...

Estamos aqui sempre, sempre... bem sabes....

A minha estrelinha mais brilhante está sempre contigo...

Fecha os olhos... já sabes...

...o essencial é invisivel para os olhos!!!!

Aquele abraço....

1 comentário:

R. disse...

Minha querida, não sei como consegues...mas o certo é que consegues sempre...

Obrigada...

pelo lanche naquela dia chuvoso, pelo totó (creio que a 1ª vez que cedi foi num jogo em Guifões, ou terá sido Valongo!?), por teres falado com a Gabriela e dizeres-lhe que achavas que eu merecia jogar mais, por me "ensinares" a ver e a apreciar as coisas mais simples da vida (sabes bem que foste tu...), por às vezes ires comigo até à paragem qdo me ia embora de tua casa, por estares comigo no dia da (não) colocação na faculdade (acho que nunca me vou esquecer dessa tarde em minha casa), por me dizeres (sem dizê-lo) que eu devia lutar pelo que queria, por jogares crapot até não poderes mais(até hoje!), pelo aprender da palavra "cativar", pelas saudosas férias, pelos mimos...

Olho para ti e também eu vejo sempre essa menina do passado, por muito que a vida mude e nos mude com ela...

Adoro-te!...

R.