Lilypie Second Birthday tickers

Lilypie Second Birthday tickers

segunda-feira, outubro 30, 2006

como estamos crescidas, minha amiga...
ouço-te falar de amor, de paixão... e penso que já não somos aquelas meninas de outrora...
meninas amigas... desde sempre... agora já somos mulheres...
olho para ti, ouço-te, sinto a tua dor como se fosse a minha, pois tu és um bocadinho parte de mim...

tento escolher as palavras... mas já não é tão simples como antigamente... não é tão simples consolar-te, nem a ti, nem a ninguém... porque agora as coisas são mais sérias... os nossos sentimentos mais profundos... as feridas que abrimos mas fundas... e as minhas palavras não valem nada...

penso no que te posso dizer para que deixes de chorar e não sei... não sei mesmo... penso que não há nada que gostasse de ouvir se estivesse no teu lugar... e por isso as palavras morrem antes de sair...

dói-me a tua dor, quero ver-te sorrir... quero que voltes a acreditar...

sei que agora não pode ser.... sei que não há palavras... sei que muitas vezes não tens forças, nem vontade para continuar...

mas há em ti uma guerreira, sempre houve...
tu sabes disso...
e é nela que tens de te apoiar...


quero que saibas que te adoro e que, por muito doidas que sejam as nossas vidas, eu hei-de estar sempre aqui...
para te ouvir, para te amparar, para chorarmos ou rirmos...
não interessa...
não vou a lado nenhum... sabes ondes me encontrar...

reportagem JN - 28/10/2006

O QUE OS GÉMEOS PRECISAM E COMO AJUDAR

Gémeos órfãos de mãe e com pai doente inspiram onda solidária

Ricardo Jorge e Pedro Filipe conheceram a luz do dia no passado dia 10 de Setembro. Mas o destino roubou-lhes o direito de se aninharem no colo da mãe e do pai. Carla Barbosa entrou em coma após o parto e morreu sete dias depois. Aureliano Barbosa teve um AVC um mês antes da mulher dar à luz e permanece internado no hospital, parcialmente paralisado.
Os recém-nascidos estão à guarda de um irmão mais velho que, de um dia para o outro, viu a família crescer de três para cinco pessoas.
A triste história de Ricardo e Pedro está a emocionar amigos, vizinhos e até desconhecidos que se uniram numa onda de solidariedade para ajudar os bebés.
A Internet tem sido um instrumento precioso.
Há precisamente um mês e 18 dias, Carla Barbosa entrou no bloco operatório da Maternidade Júlio Dinis, no Porto, para dar à luz os gémeos. Depois de uma cesariana bem sucedida, acordou repentinamente da anestesia geral. Ainda teve tempo de perguntar qual era o sexo de um dos filhos, já que os exames durante a gravidez só garantiam que um deles era menino. Num estado de confusão, levantou-se com um gesto brusco e disse que queria ver o marido (internado no Hospital de S. João). Teve um violento ataque cardíaco, que a deixou sem respirar. Ao fim de longos minutos, os médicos conseguiram reanimá-la, mas não evitaram o coma profundo. Foi transferida para o Hospital de Santo António, onde acabaria por morrer sete dias depois.
"Momentos muito duros""Foi um filme de terror. Passámos momentos muito, muito duros". A memória daqueles dias fatídicos ainda atormenta Márcia Barbosa (27 anos), mulher de Rui Pedro (28 anos), o irmão mais velho dos gémeos, fruto do primeiro casamento do seu pai. Primeiro, foi o acidente vascular cerebral do pai dos bebés. Depois, a cruel notícia da morte da mãe. No meio, o corre-corre entre a Maternidade, o Santo António e o S. João.
O casal, residente em Jovim (Gondomar), que também tem um filho de 20 meses, conta, agora, com mais dois a seu cargo. E, apesar das dificuldades, trata-os como se fossem seus. "No início ainda ponderámos ficar só com um, mas depois de os conhecermos não conseguimos separá-los. Eles, agora, são meus filhos", diz Márcia, carregando certeza na voz. O drama dos primeiros dias começou a atenuar com a onda de solidariedade que lhe bateu à porta.
Tudo começou com a iniciativa de duas conhecidas da mãe dos gémeos. Isabel Novais e Cristina Costa uniram esforços para recolher alimentos, fraldas e todos os acessórios necessários para os bebés.

A Internet foi o meio privilegiado para apelarem à solidariedade. Pouco depois da mãe dos gémeos morrer, Isabel Novais colocou o caso "online", num blogue de crianças. A quantidade de respostas que começou a receber justificou a criação de um novo blogue www.o-blog-dos-gemeos-ricardo-e-pedro.blogspot.com
É ali que está a decorrer desde o passado dia 18 um leilão de peças artesanais doadas, cujas receitas revertem a favor dos bebés. Desde pulseiras, anéis, colares, brincos, a porta-chaves e sacos de tecido, aceita-se de tudo.
Ontem à tarde, o saldo das licitações do segundo leilão somava 263 euros. O blogue serve também para actualizar informações sobre o estado de saúde das crianças, as idas ao pediatra e os acessórios em falta.
Os donativos têm sido muitos e, para os próximos tempos, Márcia não tem que se preocupar com vestuário, fraldas e leite. "Temos tido muita ajuda. Já pedi para nem mandarem mais roupa porque já tenho a suficiente. E deram-nos também fraldas e leite para um ano", explica.
O que, daqui em diante, vai ser mesmo necessário "é dinheiro para fazer face às despesas com os bebés", nomeadamente, pagar a uma ama, depois o infantário e a escola.
"Com o meu filho gasto uma média de 200 euros por mês, agora vão ser 600", contabiliza Márcia, espreitando sobre o berço.
Ali, longe de imaginarem as aflições que iriam causa na família, Ricardo e Pedro descansam ao lado de dois pequenos peluches, também eles iguais.

Desde ontem, que os recém-nascidos, juntamente com o filho de Márcia e Rui Pedro Barbosa, possuem uma conta no BPI. Através do número de identificação bancária (nib), abaixo indicado, os interessados em ajudar poderão fazer depósitos em benefício dos três bebés. O nib é 001000003750926000185.
A onda de solidariedade que se gerou em torno do caso dos gémeos já permitiu a Márcia Barbosa reunir roupa "mais do que suficiente" para os recém-nascidos, pelo menos, nesta primeira fase das suas vidas.
Além do vestuário, estão também garantidas fraldas e leite.
O que, realmente, falta é dinheiro para, por exemplo, pagar a uma ama e, mais tarde, colocar os bebés num infantário.

Na Internet, pode aceder ao blogue dos gémeos através do site www.o-blog-dos-gemeos-ricardo-e-pedro.blogspot.com.
Ali está a decorrer um leilão de peças artesnais, cujas receitas revertem a favor dos bebés.

quinta-feira, outubro 26, 2006

Li este poema nesta fábrica que muito gosto de visitar...
Obrigada "Jane"...
Fazes-me sonhar... Espero que não leves a mal...

Os filhos

"Teus filhos não são teus filhos.
Eles são os filhos e filhas do anseio da Vida por si própria.
Eles vêm através de ti, mas não de ti,
E ainda que contigo estejam, não te pertencem.
Tu podes dar-lhes teu amor mas não teus pensamentos,
Pois eles têm seus próprios pensamentos.
Tu podes hospedar seus corpos mas não suas almas,
Pois suas almas moram na casa do amanhã, a qual não podes visitar, nem mesmo em sonhos.
Podes empenhar-te em ser como eles, mas não procures fazê-los como tu és.
Pois a vida não caminha para trás nem se delonga no ontem.
Sois os arcos dos quais seus filhos como flechas vivas são lançados adiante.
O Arqueiro vê o alvo no caminho do infinito,
e Ele vos curva com Sua força para que Suas flechas sigam velozes e para longe.
Deixe que sua curvatura nas mãos do Arqueiro seja para a alegria;
Pois assim como Ele ama a flecha que voa,
ama também o arco que é firme."

O Profeta
"Khalil Gibran"

Lembram-se?

Balada da Neve

Batem leve, levemente,
como quem chama por mim.
Será chuva? Será gente?
Gente não é, certamente
e a chuva não bate assim.

É talvez a ventania:
mas há pouco, há poucochinho,
nem uma agulha bulia
na quieta melancolia
dos pinheiros do caminho...

Quem bate, assim, levemente,
com tão estranha leveza,
que mal se ouve, mal se sente?
Não é chuva, nem é gente,
nem é vento com certeza.

Fui ver. A neve caía
do azul cinzento do céu,
branca e leve, branca e fria... .
Há quanto tempo a não via!
E que saudades, Deus meu!

Olho-a através da vidraça.
Pôs tudo da cor do linho.
Passa gente e, quando passa,
os passos imprime e traça
na brancura do caminho...

Fico olhando esses sinais
da pobre gente que avança,
e noto, por entre os mais,
os traços miniaturais
duns pezitos de criança...

E descalcinhos, doridos...
a neve deixa inda vê-los,
primeiro, bem definidos,
depois, em sulcos compridos,
porque não podia erguê-los!...

Que quem já é pecador
sofra tormentos, enfim!
Mas as crianças, Senhor,
porque lhes dais tanta dor?!...
Porque padecem assim?!...

E uma infinita tristeza,
uma funda turbação entra em mim,
fica em mim presa.
Cai neve na Natureza .
e cai no meu coração.

Augusto Gil

quarta-feira, outubro 25, 2006

parem o tempo...

falta-me tempo...
esta correria constante, o stress, os atropelos deixam-me assim...
triste, melancólica...
sinto falta de sorrisos, de silêncios cumplices, do tempo a passar devagarinho...
ando perdida, sem rumo...
tenho o coração triste... não me apetece falar, olhar, estar, sentir...

parem os minutos, as horas, os dias...

que eu tenho tanto para aprender, para mostrar, para dar... e não consigo... fica tudo aqui dentro e só sai o medo de não conseguir ter tempo... de não conseguir mostrar aos que amo o quanto lhes quero... quero-vos tanto...

já vos disse hoje...
meu amor, meu filho, minhas manas, minha mãe...
o quanto vos amo? o quanto são preciosos para esta estrela?

terça-feira, outubro 24, 2006

Manias

Fui desafiada pela Cláudia, a escrever as minhas 5 manias.
pensei que era muito mais de manias... até me custou um bocado a encontrar 5...
será que não as tenho ou estão tão interiorizadas que nem as vejo como tal???
De qualquer maneira, aqui estão elas....

1 - Depois de sentar o João na cadeira auto e de o prender, não fecho a porta do carro antes de lhe dar um beijinho no nariz.

2 - Beber leite com chocolate antes de dormir, sentadinha na cama (percebem porque é que o ticker do peso não ata nem desata????)

3 - Desembrulhar os presentes agrafados em sacos e fazer embrulhos de jeito... faz-me cá uma confusão...

4 - Ao contrário de certas pessoas, lol, não me importo de usar molas de várias cores... não consigo é deixar de estender as meias direitinhas pela parte dos pés... não podem estar de lado, faz-me impressão... e a costura tem de estar para a frente!!!

5 - Espreitar para dentro das casas... não consigo... é mais forte do que eu... fascinam-me os mundos das pessoas que não conheço...



Desafio mais 5 "maníacas".
Se já foram desafiadas não levem a mal...
esta auto-análise deu cabo de mim...

Baguinhos
Cláudia
Margarida
Ana
Fátima

Tenho dito!!!

pica demorada

vacina dos 18 meses...
informaram-me que o centro de saúde estava aberto desde as 8.00, altura em que começava a vacinação...
cheguei lá às 8.00 em ponto...
já levava a ficha preenchida para ser mais rápido...
entreguei o papel e disseram-me para esperar...
esperei até às 8.20... altura em que perguntei à senhora se as vacinas não eram a partir das 8.00... ela respondeu-me: 8.00/8.30...
ah ok... os enfermeiros têm um horário flexivel... que sorte... o meu é que não é... já estava atrasadíssima mas continuei à espera de cara alegre...
o João já estava farto de lá estar... nem o empilhador miniatura que ganhou de presente no Sábado o estava a entreter... começou a choramingar e a tentar explorar as salas que estavam fechadas....
8.45... volto a perguntar se a enfermeira ainda não tinha chegado... responde-me que não... que se devia ter atrasado... 45 m de atraso....
8.50 - chega um homem e mete-se no gabinete de enfermagem...
pensei que era desta... mas não...
o atendimento é feito a monte...
primeiro as senhoras de idade avançada que devem lá estar desde as 7.30 da manhã para medir a tensão...
9.05 - finalmente chamam-me...
o enfermeiro sai da sala e fica à espera a olhar para mim... eu entro na sala e ele pergunta-me para que é do lado de fora... e eu respondo que é para vacinar...
ele diz-me com um ar muito indignado que se é para vacinação, não é ali... que é na sala do lado... claro, sr enfermeiro... eu tenho obrigação de saber de cor a disposição das salas do centro de saúde...
lá peguei nos meus tarecos todos de novo e passei para a outra sala...
mal comecei a tirar a roupa ao João ele começou logo a choramingar...
a pica foi dada rapidamente, com profissionalismo... nada como da outra vez ... o enfermeiro até foi simpático e no final, o João até lhe disse adeus....

aspecto muito positivo e a reter...
só lá tenho de ir quando o João fizer 5 anos...
até lá, não pretendo lá por os pés...
tenho a certeza que, nessa altura, as coisas vão estar muito melhores...
vai haver mais um bocadinho de respeito pelos utentes que descontam forte e feio para o sistema nacional de saúde, têm horários a cumprir nos seus trabalhos e só exigem que estes profissionais também cumpram os seus...


quinta-feira, outubro 19, 2006

Muito importante ajudar

Há um leilão muito importante a decorrer aqui
Por favor não deixem de visitar, licitar e divulgar!

quarta-feira, outubro 18, 2006


correndo o risco de ferir algumas susceptibilidades, incluindo a minha, estes dias de chuva têm-me sabido bem...
apesar do trânsito caótico que se instalou na cidade do Porto, no meio da confusão e stress gerais, tenho-me sentido calminha... serena...
a chuva tem lavado a minha alma...
o meu João tem andado calminho... a brincar despreocupadamente... a aprender novas palavras e novos sons...
redescobriu a sua quintinha da Chicco... já identifica os animaizinhos quase todos, a vaquinha, o cão, o gato, a ovelha, o patinho...diverte-se a carregar nos botõezinhos todos e escuta atentamente...
descobriu um novo amiguinho, de seu nome, Bob - O construtor...
comprei-lhe um livrinho no Sábado e ele adorou, não fosse um apaixonado por tractores e máquinas de obras em geral... (afinal de contas, é por isso que o Rui Rio não acaba com as obras de Costa Cabral... é para o meu filhote se poder deliciar com as maquinetas... obrigada, senhor presidente da câmara!!! :-P...)
e eu, mãe aplicada tento decorar os nomes dos seus ajudantes: o Alturas, o Rolão, a Beta, o Escavão... faltam alguns... I'm working on that, ok?

segunda-feira, outubro 16, 2006

O dia 26 de Novembro de 2005 foi o pior dia da minha vida...
Foi o dia da operação do João... saimos de casa pelo meio-dia e picos porque tínhamos de estar na Ordem da Lapa às 13.00. O João estava sem comer nada desde as 8.00 da manhã, altura em que tinha tomado o seu último biberão de leite durante 3 semanas... estávamos apreensivos por tudo, também por pensar que ele devia estar com imensa fomeca... entrámos na Ordem e atribuiram-nos um quarto, onde ficamos os três à janela, com o Joãozinho a mamar furiosamente na sua chucha mas sem se queixar de fome... lá pelas 14.00 veio a anestesista perguntar-nos qual era o peso dele para não errar nas contas...
Passado um pouco descemos com ele... como não havia espaço no elevador eu desci com o João ao colo e com as 2 enfermeiras e o Zé foi pelas escadas...
Agarrava-o com tanta força que não o queria largar... não queria entragar o meu filhote a ninguém, não o queria perder de vista... não queria estar ali, queria fugir com ele, estalar um dedo para que ficasse tudo bem... não foi assim...
Entreguei-o à enfermeira do bloco operatório, ela pegou nele e entrou para a sala... fechou a porta... e eu deste lado, sem ver o João... sem saber o que se ia passar a seguir... sem saber como iam correr as coisas... sem saber se ele ia chorar e sentir a minha falta... se se ia sentir traido por eu o ter entregue assim, sem protesto, a uma desconhecida... chorei, chorei... as enfermeiras tentaram confortar-me, dizendo que tudo ia correr bem... mas ninguém sabia, não é?
Voltamos para o quarto... e começou a espera...
Tentava controlar-me para ter pensamento positivo, para que nada corresse mal... chegou a otorrino... dizendo que da parte dela, a operação tinha sido um sucesso e que estava terminada... disse que ele não tinha chorado e que todas tinham gabado os seus olhos azuis... disse-nos que tínhamos um filho lindo... isso já sabíamos.. para nós, ele é o menino mais lindo do Mundo...
A espera continuou, estávamos agora na fase mais delicada... rezei, rezei muito... tinha vontade de chorar mas engolia as lágrimas, não queria entristecer mais o Zé... sentia que tinha de o apoiar... e a melhor maneira era controlar-me!!
Passadas mais ou menos 1.30/2.00 continuávamos os dois, estupidamente à janela, como se de lá pudessem chegar algumas novidades...
E chegaram... passou o médico, a caminho do carro, para ir buscar o livro de recibos... nós ali, os dois à espera, e ele, a ir buscar os recibos, antes de nos dizer como tinha corrido... de qualquer modo, ficamos mais descansados , depreendemos que tinha corrido bem...
Veio falar connosco, disse que a operação tinha sido um sucesso e que o João devia estar quase a chegar do Bloco...
Lembro-me de sairmos do quarto e ao longe... ouvi uma vozinha muito fraquinha a chorar, não parecia o João mas era ele, não sei como reconheci-o... corri... sem saber muito bem para onde ir, segui o som... corri para o elevador... vinha ele, com um choro mansinho, muito sofrido e baixinho... embrulhado num lençol, muito pálido...
Chorei de alegria de o ter ali, de tristeza de o ver assim, de alívio por estar comigo, de angústia por estar a sofrer... acompanhámo-lo até ao quarto e pude finalmente pegar nele... durante horas a fio, com ele ao colo, só parava de chorar quando eu cantava para ele... e eu cantei, cantei, cantei....
Durante dias só dormia ao nosso colo ... mal o pousávamos na cama, chorava, gritava... com medo... talvez se lembrasse do momento da anestesia... não sei como o fazem... foram 2 semanas medonhas... noite sim, noite não, eu ou o pai dormíamos sentados, com ele ao colo... mal começávamos a escorregar para nos deitarmos ele acordava e chorava... era um desespero...
Pensei que, pelo facto de ele na altura ter 7 meses e meio faria com que não se recordasse de nada mais tarde...
Pensei mal, muito mal...
No Sábado, quando fomos visitar a A. e o seu pequeno T., mal entramos na Ordem, o João começou a demonstrar algum desconforto... a olhar à volta, muito atento e a fazer beicinho... a puxar-me para a porta...
Só sossegou quando o pai, o trouxe para a rua...
E de Sábado para Domingo... acordou de noite e só dormia no nosso colo... e gritava quando nos deitávamos... outra vez o mesmo...
Ele lembra-se ainda... e tem medo... e eu não queria, não queria...
E parte-se-me o coração de pensar que ele se recorda de tudo...
queria protegê-lo e não posso...Estou triste... muito triste...

sexta-feira 13 - dia de sorte!!!

já nasceu, já nasceu...
é tão lindo, tão pequenino...
já não me consigo recordar do João assim... parece-me impossivel que alguma vez tenha tido aquele tamanho...
ai, ai...
nostalgia!!!

quinta-feira, outubro 12, 2006


que todas as estrelas do Mundo estejam convosco amanhã....
até Sábado de manhã minha amiga!!!

quarta-feira, outubro 11, 2006

ainda no oceanário....



oceanário

fomos ao Oceanário...
estava um dia lindo, daqueles de Verão, a disposição era muito boa, estava com a minha linda afilhada B. que parece uma bonequinha de tão linda que está!
estava muito ansiosa por vê-los aos dois juntos, não sabia como iam interagir, se se iam dar bem, ou mal, ou até mesmo ignorarem-se um ao outro... foi um meio termo, ainda são pequeninos, ainda estão na idade em que não é necessário um amiguinho ou amiguinha para brincarem.. ainda vivem muito no seu mundo!
O João adorou os peixes... aliás, "for the record", peixe, ou melhor, pa, é uma das novas palavrinhas do seu vocabulário... estava tão entusiasmado, tão entusismado... e nós também, pelas suas reacções....
quando vou ao Oceanário, se há coisa que eu goste é sentar-me no chão, cá em baixo, em frente ao aquário grande e ficar ali... sente-se uma paz tão grande... é como se conseguíssemos sentir o silêncio que há debaixo de água e entrássemos no seu mundo... estamos dentro de água mas cá fora... é fantástico...
resolvi experimentar isso com o meu filhote mas sem grande esperança... ele tem bichinhos de carpinteiro, logo, é muito difícil vê-lo parado , sentado por mais de 5 ou 6 segundos...
e não é que ele se manteve, quietinho, ao meu lado? maravilhado, a olhar para os peixinhos... a dizer o pa, o pa... passando a sua pequenina mão no vidro para lhes fazer festinhas? foi o máximo, adorei...
claro que, a partir desse momento, sempre que via mais um aquário queria sentar-se...lol... criei um monstro... ainda fez umas birrinhas valentes, não se queria vir embora!!!
quando for mais velho, se assim o desejar, vou deixá-lo "Dormir com os Tubarões"... deve ser o máximo, estive a ler o modo como se processa, no site do Oceanário e fiquei com imensa pena de só haver esta iniciativa para crianças...
foi um dia muito bem passado...
matei algumas saudades da B. e dos meus primos e ainda vimos nascer no nosso João Ratão uma paixãozinha por peixes... quem diria?
Próximos sítios a visitar na Capital: Aquário Vasco da Gama e Jardim Zoológico!

terça-feira, outubro 03, 2006

cai na real, isabel!!!

a comprar roupa para o meu filhote... com algumas peças na mão tamanho 18/24, olhando para elas e achando enormes para o meu bebé... pensei, estou tola... 18/24? isto é enorme para ele...
ele ainda só tem....
hum....
17 meses, 3 semanas e 4 dias....
glup...

JÁ?????!!!!?????
Depois de um final de semana engripado, cá estou eu de volta...
Para além do corpinho a pedir caminha, sopinhas e descanso, o nosso filhote não tem dormido nada bem... passa a noite a choramingar e nós a corrermos para o quartinho dele... especialmente o pai porque eu ando tão grogue que quando finalmente o meu cérebro consegue processar a informação e me levanto, o papá já lá está!! Bendito marido!
Hoje finalmente o João dormiu a noite toda o que significa que também nós, papás, finalmente conseguimos ter uma noite de sono decente...
Claro que a minha cara não diz propriamente isso... acho que o meu corpo já não estava habituado a dormir tantas horas seguidas... isto até me fez lembrar os primeiros tempos do João em que ele dormia a noite toda em períodos de 10 minutos...lol... isto também me fez ver que ainda não estou preparada para aguentar noites destas de novo...
Acordei com os olhos inchados e como hoje tive boleia para o trabalho, ainda adormeci no caminho... não há nada pior que isso...
Conclusão: Amiga maquilhagem, hoje conto contigo!!

De qualquer modo, pensar que amanhã é o último dia de trabalho da semana anima-me bastante!
Vamos para Lisboa, para casa dos meus queridos sogros com imensos planos...
Quinta-Feira - Visita ao Oceanário com os meus primos e a minha afilhada querida! Tenho tantas saudadinhas dela!!!!
Sábado - Rápida visita ao IKEA com a desculpa de comprar uma cómoda para a M. a pedido dos papás M & M!!! (obrigada maninha!!! hihihi!)
O resto dos dias são livres!!! e ainda espero conhecer o meu "futuro" cunhado F.

Enfim... acho que vai ser um belo fim-de-semana!!!