Lilypie Second Birthday tickers

Lilypie Second Birthday tickers

sexta-feira, agosto 11, 2006

encerrado para férias


este blog e a sua autora vão entrar oficialmente de férias...
torçam para que o meu pé esteja ok e eu possa tirar o gesso na terça e aproveitar ainda alguns dias ...
beijinhos estrelados...

quinta-feira, agosto 10, 2006


mais uma vez, cuscando outros blogs, aumentei os meus conhecimentos...
com esta pequena alteração os anónimos já podem comentar mas fica vedada a entrada a posts automáticos de publicidade duvidosa......

quarta-feira, agosto 09, 2006


amigos e amigas, com muita pena minha tive de vedar os comentários a quem não estiver registado no blogger. tenho tido imensos comentários de pessoal a fazer publicidade a coisas não muito bonitas... por isso...
beijos e espero que mesmo assim não deixem de, de vez em quando, atirar os vossos pózinhos....

liiiindo!!!!!!!!!!!!

«Uma Avó é uma mulher que não tem filhos,por isso gosta dos filhos dos outros.
As Avós não têm nada para fazer, é só estarem ali.
Quando nos levam a passear, andam devagar e não pisam as flores bonitas nem as lagartas.
Nunca dizem "Despacha-te!".
Normalmente são gordas, mas mesmo assim conseguem apertar-nos os sapatos.
Sabem sempre que a gente quer mais uma fatia de bolo ou uma fatia maior.
As Avós usam óculos e às vezes até conseguem tirar os dentes.
Quando nos contam histórias, nunca saltam bocados e nunca se importam de contar a mesma história várias vezes.
As Avós são as únicas pessoas grandes que têm sempre tempo.
Não são tão fracas como dizem, apesar de morrerem mais vezes do que nós.
Toda a gente deve fazer o possível por ter uma Avó,
sobretudo se não tiver televisão.»

terça-feira, agosto 08, 2006

16 meses


dia 5 fez 2 anos que o nosso teste foi positivo...
e agora, 16 meses... de ti... .

AVISO:
Este post parece nunca mais ter fim.... mas a baba materna é tanta e há tanto para dizer hoje, para mais tarde recordar, que não dava para cortar nada!!! : P....

estás um menino crescido...
já nos fazes imensa companhia, compreendes tudo o que te dizemos, finges não compreender quando te interessa, já nos chamas de mamã e de pápá ( com esta mesma entoação, tão fofo!!), já dizes tatá( já está) e tatá (tatá), vavá(penso que é uma abordagem a vóvó) e hã hã(olá), não há... nesta atingiste já a perfeição...
sabes identificar imensas partes do teu corpo... a mão, o pé, o nariz, a boca, o juízo (não é bem uma parte do corpo mas está lá, às vezes não parece mas está!!!) a barriga, a peitaça, a pilinha, o rabiosque... ainda confundes cabelo com cotovelo.. mas a mamã anda a trabalhar nisso!!!
pegas na viola como deve ser e tentas afinar as cordas antes de começar... tocas xilofone com os "pauzinhos" virados para o lado certo, mesmo que a avó te tente confundir...
lembras-te sempre onde escondeste as coisas, incluindo os chinelos da mamã que não podes ver à mostra...
adoras dançar (especialmente a música da Flor.. "não tenho nada mas tenho, tenho tudo...) e cantar...ficas tão querido a cantar a música "papa a papa, papa a papa"... há momentos em que estás mesmo no tom e no ritmo certo...
adoras brincar com carrinhos: grandes, pequenos, elaborados, simplórios... quando não há carrinhos inventam-se, com o pacote do leite ou o que estiver mais à mão...
andas a descobrir o carrinho/triciclo que a vóvó dinha e o tatá te deram no Natal, já aprendeste a dar às pernas para trás, agora só falta seguires em frente... quando começaste a gatinhar, ou melhor, a rastejar, também só andavas para trás...
adoras tomar banho, não tens medo nenhum da água na cabeça... detestas o creminho e o vestir... sempre detestaste....
só dás beijinhos a mim, ao papá e à avó Dinha... a mim e à vovó vai de trincadela, algumas já foram bem dolorosas mas sei que não fazes por mal... hei-de conseguir ensinar-te!!!
adoras esfregar a barriguinha do papá e passear por cima dele de gatinhas (literalmente) quando está deitado no chão, na brincadeira contigo...
gostas de fazer cavalinho na perna engessada da mamã...
começaste a andar há cerca de um mês... e estás a melhorar em cada dia, já consegues pôr-te de cócoras e levantares-te a seguir...
adoras sopinha... o resto é secundário... mas já tens conhecido alguns novos sabores...
adormeces a mamar o leitinho com a tua fraldinha na mão, na tua cadeirinha loola, os papás ainda não te conseguiram convencer a adormeceres sózinho...
ainda dormes no nosso quarto... não por tua culpa, ainda não tivemos oportunidade de te transferir... vamos adiando, adiando... acho que nos falta coragem meu amor...

estás cada vez mais crescido, estamos a descobrir-te... todos os dias nos brindas com uma novidade, uma gracinha... andamos com a baba a escorrer, sempre tão orgulhosos das tuas proezas, da tua inteligência...

parabéns!!!

não é por seres nosso filho mas és MESMO o MÁXIMO!!!

sexta-feira, agosto 04, 2006

jantar de "gaijas"

Ontem tive um jantar de gajas...
Pela primeira vez, desde que o meu joão ratão nasceu, fui jantar sem ele e sem o pai...
Não vi quando ele adormeceu, não estava lá... pela primeira vez... confesso que quando cheguei a casa e me apercebi das horas fiquei triste, com um pesinho na consciência... mas fez-me bem, soube-me muito bem...
recordei estórias e personagens (surpreendentemente reais) que já não me lembrava que existiam... chorei de tanto rir... lavei a alma com gargalhadas e amigas queridas...
O jantar era de miudas mas não foi cumprido à regra... a A. e a E. levaram as suas barrigas grandonas e lindas de morrer... e por isso, tivemos connosco o H. e o T.... este último brindou a tia com um pontapé delicioso... ai que saudades...
A D., está toda bonita, resplandece alegria como sempre... quando estou com ela sinto-me mimada e sabe tão bem...
Gosto de vocês amigas... vamos repetir isto mais vezes, ok?



Ah... e hoje de manhã, o meu filho, que costuma ser tão dorminhoco e nunca quer acordar... pôs-se de pé na cama sozinho, olhou para mim e sorriu...
“sim, é verdade, a mamã já chegou meu amor...”
...e estivemos a brincar os dois na cama, praí um quarto de hora e nos primeiros minutos ele agarrava-se a mim e sorria...

ai a baba... vou ter de mudar os lençois....

quinta-feira, agosto 03, 2006

parabéns mário



hoje, dia 3 de agosto, o meu padrinho, afilhado e compadre, Mário, faz aninhos...
aqui ficam os nossos parabéns...
(o afilhado manda dizer que este ano é que vai ser e que o teu homónimo ainda vai marcar muitos golaços e dar-te muitas alegrias!! ;-) )ok, ok... o afilhado manda dizer que afinal o gajo foi dispensado... deixa lá, os outros chegam bem para quem vier!!! ( vi isto no blog do beira-mar!! )
(http://beira-mar.blogspot.com) (olha, depois vi isto (http://www.sportugal.pt/noticia.php?categoriaID=&noticiaID=4096) e por isso, já não estou a perceber nada... lolada acabei de saber que tudo isto é tanga!!! http://ruadovento.blogspot.com desculpa lá a minha ingenuidade futebolística!!
os amigões mandam dizer que este ano a tua vida vai mudar e muito, pois vais ser papá... e que essa é a maior benção que podemos ter na vida...

Bom dia miudo!!! e muitos parabéns!!!!!
(P.S. - Não escrevi este texto em amarelo e preto pq não dava para perceber nada mas fica a intenção...lol)

quarta-feira, agosto 02, 2006

terça-feira, agosto 01, 2006

memória

a primeira vez que perdi alguém verdadeiramente importante na minha vida foi aos 13 anos...
foi o meu padrinho, o tio césar...
sem dúvida que era o nosso tio preferido, meu, da Daniela e do Pedro. e eu, sentia-me orgulhosa de, para além de o ter como tio, tê-lo também como padrinho, sentia-me mais especial...
tinha um espírito muito jovem, brincava imenso connosco, era um desportista nato, nunca estava quieto e amava muito a minha madrinha... isso via-se, sem grande esforço nas suas brincadeiras, nas suas cumplicidades...
lembro-me de, aos 4 anos de idade ir passar férias com eles para a Nazaré... foi aí também que ganhei um avô postiço, pai da minha madrinha e que ainda hoje chamo de avô...
quando ainda moravam em Lisboa, recordo-me de ir passar uns dias com eles, de umas vezes ir com a minha madrinha para o hospital e outras com o meu padrinho para a companhia de seguros... adorava, deixavam-me escrever à máquina, tiravam-me cópias de desenhos para eu pintar, enfim, eram sempre umas férias memoráveis...
tenho bem presente o momento em que soube que o meu padrinho ía morrer... a minha madrinha ligou lá para casa e o meu pai atendeu... ligou à minha tia gena para lhe dizer o que estava a acontecer... o irmão mais novo deles, tinha um cancro no fígado e tinha 3 meses de vida... a minha tia não queria acreditar e deste lado o meu pai gritava-lhe a notícia, como se assim fosse mais fácil para ela entender o que não queria aceitar....
tomaram a decisão de não lhe contar nada...
todos os fins-de-semana, os meus pais iam para a Lousã... algumas vezes eu também ia, outras não... na altura tinha jogos ao fim-de-semana e nem sempre podia faltar...
lembro-me da última vez que o vi...
do aspecto físico nem vale a pena falar...
lembro-me dele deitado no sofá acastanhado da minha madrinha, já sem forças e eu, sentada no chão, por baixo... lembro-me do amor que sentia por ele e da urgência que naquele momento tive de lhe dizer, de lhe gritar, o quanto o amava, o quanto ele era importante para mim, como tinha marcado a minha vida... não o fiz... sabia que se o fizesse ele ia perceber que algo se passava... será que não tinha já percebido e vivíamos cada um para o seu lado, uma farsa... um fingimento sem sentido? não lhe disse... calei o meu amor...
foi a última vez que o vi...
num fim-de-semana em que tive a fase final do campeonato nacional de iniciadas femininas, em Coimbra, ganhámos... fomos campeãs... os meus pais estavam na Lousã, a meia-hora dali... telefonei-lhes da cabine telefónica que havia em frente ao Pavilhão do Olivais... atendeu o meu primo Pedro... achei estranho ele estar lá mas não liguei... falei com o meu pai e contei-lhe que tínhamos ganho, éramos campeãs....estava tão feliz...
à tarde, quando me deixaram em casa, o meu irmão estava a brincar na rua ... ainda antes de sair do carro ele perguntou-me:
-"já sabes?"
-"já sei de quê?"
-"do tio césar, morreu"...

o meu chão fugiu, percebi que nunca mais o ia ver... tudo tinha acontecido naquele fim-de-semana e eu não tinha sabido de nada... ninguém me tinha dito... não sei se foi bem ou mal feito, não sei e não me interessa...
carrego ainda hoje o peso de, naquele último momento que tive com ele, não lhe ter dito o quanto o amava, por ter medo que percebesse que algo de errado se passava... como é que pode ser errado dizer a alguém que o amamos, que é muito importante para nós... como é que isso pode parecer estranho?
desde esse dia que não tenho vergonha de dizer às pessoas que me são queridas que as amo, que gosto delas, que gostei de estar com elas, que são lindas, que me são especiais.. bem sei que às vezes, ficam encabuladas mas não me importo...
tento aproveitar esses momentos, tento não perder munca mais a oportunidade de as amar sem medos, de lhos mostrar...
porque,
pode muito bem ser a última vez que o posso fazer!

gustav klimt



esta é uma das minhas paixões... não sei porquê mas acho que o amor é visivel nas suas obras e sempre que as olho sinto-me contagiada...